NOTÍCIAS


Outubro vai trazer mais chuva do que o Centro-Oeste esperava

Distribuição das precipitações será irregular e diferente de um talhão para outro

October 10, 2018 18:29  |  Redação - Canal Rural
Chuva

Desde o início do ano, os meteorologistas já previam um cenário climático diferente para a safra de soja 2018/2019. No ano passado, estávamos com as águas do oceano Pacífico equatorial mais frias, característica do La Niña, que beneficiou a safra do Nordeste e atrasou bastante o regime de chuva para o centro-sul do Brasil. Mesmo assim, o resultado foi uma produção recorde da oleaginosa, com mais de 119 milhões de toneladas.

Neste ano, a condição é outra. O oceano mais aquecido, mesmo sem ter configurado El Niño ainda, beneficiou diversos produtores com a chuva antecipada, a exemplo do que havia acontecido em 2014. Importantes cidades agrícolas já receberam na primeira quinzena de setembro, antes mesmo da primavera, boas quantidades de chuva. Tudo conforme o previsto. As simulações a longo prazo também mostravam uma falha na chuva, principalmente em outubro, o que prejudicaria o desenvolvimento inicial do grão.

Só que outubro começou com boas quantidades de chuva, e a pergunta agora é até quando essas pancadas duram. Segundo o meteorologista Celso Oliveira, as limitações tecnológicas na previsão trazem essas alterações, fora que a primavera, por ser uma estação de transição, traz algumas surpresas. “Quando você faz no inverno uma previsão para a primavera, as simulações tendem a diminuir a quantidade de chuva prevista para o período úmido”, diz ele.

Mesmo com a volta da chuva, vale lembrar que a característica predominante é que as pancadas seriam irregulares e isso, de fato, está acontecendo. “Temos casos de fazendas com talhões que têm mais de 100 milímetros e outros, ao lado, onde têm 30, 10, 15 milímetros. O risco está associado ao produtor instalar em todas as áreas e eventualmente não chover em alguma área instalada”, afirma o meteorologista.

A meteorologia ainda prevê um padrão irregular na distribuição das chuvas no Centro-Oeste do Brasil. Há umas chuvas previstas para outubro até mais significativas, e simulações mais estendidas mostram períodos secos, principalmente na primeira quinzena de novembro. “Nenhuma dessas janelas de tempo seco, por enquanto, ultrapassam os 15 dias”, diz Oliveira.

Pryscilla Paiva, editora de Tempo do Canal Rural